O Negroni Backlash Has Begun

Advertisement

O Negroni Backlash Has Begun


Foto: thepauperedchef.com

O negroni é partes iguais Campari, gin e vermute doce. Então, qual é o grande negócio?

Com sua coluna feliz Eater (esse nome, ha !!) no jornal The Guardian, de Londres, restaurante crítico e rabugento orgulhoso Jay Rayner gosta de assumir as ironias, hipocrisias e males que afligem gerais mundo do alimento. Sobre o tema da piqueniques? "Um desperdício de agricultura", escreveu recentemente. [Ver: Of Course Jay Rayner Hates Piqueniques.]

No fim de semana, Rayner caiu algumas linhas sobre por que ele odeia o Negroni, um coquetel clássico italiano temos gastar muito tempo discutindo e dissecação. Foi por volta de 1920, quando Conde Camillo Negroni batizou a bebida no Caffè Casoni em Florença. Um ventilador bem conhecido da garrafa, Negroni - Como a história vai -wanted para perfurar o Americano popular e perguntou a seu barman favorito para corrigir-lhe algo aa pouco diferente.

O resultado é um desfile ticker-tape extremamente seco e amargo sobre as papilas gustativas. Três componentes - todas as partes iguais - combinam-se para um casamento complexo. Campari é a âncora. É um espírito misterioso, engarrafado em um tom tão profundo de vermelho que besouro sangue uma vez foi rumores de ser um dos principais ingredientes. (Fato:. Não é verdade) Os produtores Milanese secretos só vai dizer o aperitivo complexo é composto de 60 ervas, especiarias e cascas de frutas. Vermute doce e gim (complemento fundamental do Conde) arredonda para fora a bebida. Agitado ou servido nas rochas e sempre enfeitada com um toque de laranja, um Negroni começa esmagadoramente amargo - como o seu paladar saltou para uma piscina de mergulho gelado. Ele acaba doce como o gin assume o controle.

De volta a 2011, dedicou uma semana inteira para o negroni. Hoje você pode encontrar muitas, muitas variações disponíveis. Em Chicago, o Negroni congelada - vendida pelo galão na Parsons Chicken & peixes - é, indiscutivelmente, as "Linhas borradas" de cocktails neste verão. Mas para Rayner, é uma bebida feita com o "insulto violento que falta é Campari."

"Eu não gosto de sua amargura, da mesma forma que eu não gosto de ter meus calos cortada. Beber um Negroni sente como punição por um crime que ainda não comprometidos. "

Rayner continua a descrever os-partes iguais SIPPER como um "crescido bebida", comparando o pontapé adstringente para primeiro gole de um jovem adulto de álcool. E aqui é a coisa sobre a reivindicação de Rayner. Ele está certo. Muito bem. Não é para todos. Minha esposa não pode olhar para as coisas, e totalmente vetado servindo Negronis no nosso casamento (embora eu ganhei o grande momento com uma Corpse Reviver).

Que é ainda mais surpreendente porque é um sucesso tão grande. As pessoas estão apenas fingindo gostar da amargura over-the-top e aftertaste às vezes medicinal? Se o barman vai demasiado pesado sobre o Campari, isso certamente pode ser o caso. É o vermelho rubi que os atrai em? Ou é o nosso gosto por cocktails mudança - são as tendências Mudslide doce-centric dos anos 1990 e 2000 envelhecimento fora? Vodkas aromatizadas são condenados para mais "adulto" sabores como mescal e gins de zimbro-forward? Não é provável. Somos todos filhos ainda no coração, Rayner sustenta. E apenas tentando descobrir uma maneira para lavar hooch, da forma menos intrusiva possível.

"Aos 46 anos eu tinha pensado me todos crescemos", escreve ele. Mas na questão do vidro e do Negroni que não está nele, aparentemente, eu não sou. Eu ainda sou uma criança. Oh, a vergonha. "



Leia mais sobre o negroni na República do alimento:

  • Ainda é legal misturar um Negroni. O Negroni clássico que é.
  • 7 Criativas Negroni Spins
  • Gary "Gaz" Regan sabe mais sobre a cultura de beber do que Basicamente Anybody