Comentário sobre o Restaurante: Bar Bolonat no West Village

Advertisement

Comentário sobre o Restaurante: Bar Bolonat no West Village




Alguns restaurantes bateu no chão a todo vapor. Esta avaliação refere-se a um dos outros, um lugar que tropeçou no início, como deselegante como uma girafa dias de idade, e só recentemente encontrou o seu equilíbrio.

Bar Bolonat abriu no West Village, em março, em que parecia um local auspicioso, um canto olhando para fora em Abingdon Square Park através das jardas das janelas. Dois meses, Einat Admony, o chef e proprietário, estava à beira de fechar, ela disse em uma entrevista por telefone. Quase a metade dos seus 54 lugares tinham sido levados depois que a cidade decidiu que uma ala da sala de jantar era um recinto calçada ilícita. A área em disputa foi colocado em quarentena por trás de uma corda de veludo, embora fosse difícil imaginar uma multidão fazendo fila para admissão a este pedaço de chão de cimento nu. Isso colocou uma pressão sobre as receitas, sem dúvida, e fez o lugar parecer muito estranho.

Mesmo com capacidade reduzida, Bar Bolonat foi afligido por sub-óptima acústica. Quando eu comi lá no início do verão, os guinchos na sala de jantar poderia ter esmagado sucata. É quase esmagado o meu desejo de voltar, também, mas eu segurei porque Ms. Admony estava tramando algo original na cozinha.

Comentário sobre o Restaurante: Bar Bolonat no West Village


A filha de uma mãe iraniana e pai iemenita, ela estava combinando os sabores do contemporâneo multiétnica Israel, onde ela cresceu, com as expressões idiomáticas de modernos restaurantes em Nova York, onde ela foi cozinhar desde a obtenção de um emprego na cozinha de Bobby Flay em Bolo em 1999. Eu nunca provei nada exatamente como ela camarão em um curry iemenita, com um tiro de fogo de zhug verde e uma pequena rodada de pão frito chamado malawach para absorver o picante, leite de coco açafrão-ouro. Eu queria mais alimentos como este em minha vida, mas eu não estava com muita pressa para enfrentar os decibéis novamente.

Agora, com o som de absorção de azulejos até acima, Bar Bolonat é um restaurante mais tranqüila, embora não seja inteiramente biblioteca-like. (Uma pequena parte do teto, sem telhas, é inclinado, como o tampo de um piano de cauda, ​​com um efeito semelhante.) É também maior. Em Setembro, a Sra Admony finalmente apaziguado os burocratas e voltou todas as suas vagas para o serviço ativo.

Enquanto que fixa o espaço, ela fez outras alterações, substituindo chefs executivos até que encontrou Molly Breidenthal. Quando eu comi lá este mês, a cozinha era mais seguro do que tinha sido, as especiarias aplicado mais destemidamente. A girafa está em movimento.

Tempero energético impulsiona cozinha da Sra Admony no Bar Bolonat, como faz em suas lojas falafel exemplares, Taim, e em menor medida ela Mediterrâneo restaurante de comida de conforto, Balaboosta. Um dos pratos mais simpático do Bar Bolonat desde os primeiros dias instáveis ​​tem sido os lemony grelhados alcachofras do bebê com uma banda de pistachio cremoso iogurte sob um pó verde-claro de dukkah. Essa mistura de nozes picadas e ervas pode se cansar se senta em torno de muito tempo, mas Bar Bolonat de é extremamente frescos, o pistache verde ainda doce e brilhante.

Propaganda

Um golpe de puré de milho leva o seu sedutor sabor, quentinho de açafrão, cardamomo e cravo solo, a versão de Ms. Admony de uma mistura de especiarias aquecimento chamado hawaij que iemenitas agitar em sopas. Juntamente com o calor crescente e doçura de um molho de pimenta vermelha, o milho temperada faz algo emocionante para fora de uma perna de polvo grelhado.

Quase todo mundo ordena o sésamo Bagel Jerusalém de estilo, de modo claro e macio é quase um anti-pão. Quase todo mundo está certo sobre isso. O que torna este pão em forma de pista tão difícil de passar é a colher de za'atar realmente perfumado e complexo que você enterrar cada peça em depois de dar-lhe um banho preliminar em azeite apimentado.

Quando os pratos foram nada assombroso, como vários foram uma noite de agosto de tempero tímida poderia ser o culpado. "ravioli za'atar", recheado com berinjela smoky, poderia ter sido interessante a incluídos alguns za'atar real. Por outro lado, zabzi do Bar Bolonat, um iraniano guisado fresco de ervas servido com manchas suaves de couscous fresco, era extraordinariamente viva, e ele poderia ter se tornado um dos meus favoritos, se a curto costela no ensopado não tinha sido difícil e seco.

Os pratos no Bar Bolonat são destinadas a ser compartilhada - todo mundo cantar junto - e sair da cozinha como eles estão prontos. Ou então os servidores dizer. O menu é dividido em pequenas, médias e grandes placas. Como o senso comum diria a você se os servidores não estavam dizendo o contrário, as maiores, como o pescoço de cordeiro assada com datas e castanhas até que é puxar-apart concurso, são muito mais fáceis de dividir do que os poucos goles de ceviche acaso com sementes de romã secas e suco. A cozinha poderia fazer mais para ajudar, digamos, esculpindo o poussin romã de vidro em vez de enviá-lo todo com uma faca serrilhada.

O pouco sobre o pratos 'aparecendo em momentos aleatórios é enganosa, também, mas em um bom caminho. Minha mesa nunca foi carregado para baixo com mais placas do que ele poderia realizar. Isto deve ir sem dizer, mas em restaurantes estes dias nada faz. Além de uma ou duas folhas não programadas de ausência de uma noite, o serviço foi geralmente excelente, com um rumo profissional que sinaliza a intenção da Senhora Admony ter cozinha israelita levada a sério. Os guardanapos brancos, taças polido, cortinas e móveis modernos são todos subestimados uma tentativa determinada para os tipos de clientes que iria orientar clara de qualquer coisa parecida com uma cabana hummus.

Para a sobremesa, Ms. Admony faz uma versão caseira, a partir do zero de Láctea, uma marca pudim de chocolate tão central para a vida israelense que se tornou o símbolo de um protesto esta queda contra o alto custo de vida. O brûlée crème halvah gostos mais como manteiga de gergelim, mas vale a pena ir para o tufo de halvah fio no topo. O mais divertido e, provavelmente, a melhor sobremesa é um envelope de baklava frito com sorvete selado dentro, embora o sorvete deve ser mais frio e mais quente pastelaria se Ms. Admony quer viver até os altos padrões estabelecidos por uma vez o sorvete frito em Chi-Chi do. Tendo lutado Câmara Municipal e os demônios gritando de ruído da sala de jantar, ela está provavelmente pronto para um novo desafio.